Translate

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

NÓS DO SUL

EXPOSIÇÃO DE ESCULTURAS DE MADEIRA

 FEITAS COM NÓ DE PINHO( SUBPRODUTO DA ARAUCÁRIA BRASILIENSE)
 Esculturas com autoria do escultor Jorge Schröder, abordando um motivo peculiar e regionalizado, na visão do escultor, referente ao uso do “NÒ DE PINHO”, subproduto da Araucária Brasiliense, conhecida como Pinheiro Brasileiro. As esculturas com concepção e leitura visual do artista fazem o uso desta matéria prima, que historicamente vem sendo usado pela sociedade Sul Brasileira em atividades laborais distintas, algumas degenerativas e menos nobres.
Vídeo da exposição 

Esculturas feitas com a parte do galho de Pinheiro Brasileiro, que permanece perene , após a morte natural da árvore.
A   O R I G E M  do  NÓ  de  PINHO
 Na chamada MATA ATLÂNTICA, particularmente  nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Leste de Minas Gerais e São Paulo existiam imensos pinheirais do chamado "Pinheiro brasileiro" - Araucárias Brasileenses  ou Araucária Angustifólia. Durante dezenas de séculos a Araucária povoou as nossas matas.  Tais pinheiros chegaram a atingir até 52 metros de altura. Seus troncos chegavam a medir 8,5 metros de circunferência.  Milhões de árvores no curso dos anos foram caindo, findo o seu ciclo de existência ou atingidas por raios ou mesmo em conseqüência de incêndios etc.  Seus troncos voltam à  terra e se desintegraram completamente, exceto os "Nós", que não foram objeto de decomposição. 
Conservaram-se durante dezenas de séculos debaixo da superfície do solo e atualmente, ao arar a terra, o lavrador ainda encontra "Nós de pinho".  Armazenando-os e vendendo para o consumo em lareiras ou carvoarias. Até meados do século passado, milhares de serrarias exploravam a madeira de pinheiro de araucária, tanto para o consumo interno, mas predominantemente para exportação. 
Com este legado histórico e as qualidades da massa do material e suas formas orgânicas disformes e únicas, associados a surpreendente performance dos efeitos plásticos que se obtém a partir do desfragmentar do nó , surgem as esculturas; sugeridas pelas formas externas pré existentes , inserem uma gama de informações atrativas e surpreendentes na exploração escultórica deste material.  A massa homogênea do lenho resinoso, os efeitos de polimento onde não há necessidade de aplicação de vernizes, pois possui na resina interna que submetida a polimento libera um brilho próprio.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

“ 1 er. SIMPOSIO DE ESCULTURA DEL MERCOSUR POSADAS 2012” “ESCULTURAS PARA USAR”

PARTICIPAÇÃO DO SIMPÓSIO A PARTIR DE 07 DE SETEMBRO 2012
Escultores participantes do Simpósio
“ 1 er. SIMPOSIO DE ESCULTURA DEL MERCOSUR POSADAS 2012”

ESCULTURAS PARA USAR

Evento que ocorre entre os dia 7 e 16 de setembro na cidade de Posadas-
Argentina. selecionados dez (10) escultores de la região do MERCOSUl
–Brasil, Paraguay, Uruguay e Argentina participantes seleccionados por el
Jurado -integrado por:
 Víctor Ricardone Escultor y Profesor de la FundaKlehr Escultor, Profesor y Directordel Museo de Escultura “Luis Perlotti” de Buenos Aires 
 Gisèle Seró, Directora de Museo y Patrimonio Cultural de la Municipalidad de Posadas
 participación como Veedor del Escultor-Profesor Eduardo B. Ledantes, Asesor del Simposio

DESENHO DA ESCULTURA A SER EXECUTADA
 
local do Simpósio Av. Costaneira- Posadas- Argentina
 
EXECUÇÃO DA ESCULTURA
 
 Os blocos de Basalto Missioneiro, foram sorteados entre os 10 ecultores.
Início dos trabalho
 Reconhecimento da pedra , e adequação ao projeto, conforme as limitações que a pedra impõe.
 
No desenvolvimento dos trabalhos , constatou-se a existência de cristais de Quartzo e óxido de cobre na composição da Rocha.
Esta composição dificulta o corte, 
 necessitando de ferramentas específicas para isto.
 
Foram 7 dias de muito trabalho, mas de intensa satisfação , por perceber que a forma  da escultura, estava indo de incontro com o proposto.
 
 
Concluida a 1 etapa, iniciou a segunda pedra, com tamaho maior, representava mais trabalho . No entanto o reconhecimento do grau de dureza da pedra e suas caracteristicas, facilitam o trabalho. 
Lentamente a pedra passa a ter forma e conteudo.
Sem nome na escultura, foi proposto ao público para interagirem na nomenclatura, vários nomes foram propostos, ficou  satisfatório a participação das pessoas. Nomes como " La crista de la ola" , "televisor de pica pedras" entre outras, encantavam os espectadores. Neste momento percebi mais uma vez , que independe o que eu quero, as pessoas veem com o coraçaõ e sua própria conciencia critica.
 
 

Obra concluida,

 
 

O conjunto é composto de duas formas geométricas que se aproximam . Onde uma é completa e a outra esta em processo de nascimento da rocha.

 
 
 
 
OBRA CONCLUIDA
 
 
Recebendo o Diploma de participação do Intendente Ing. Orlando Franco.
 
 
Recebendo  da Diretora de Cultura  Mariana Zeniquel, o Premio e Medalha.
 
 

sexta-feira, 23 de março de 2012

V SALÓN INTERNACIONAL DE ESCULTURA CONTEMPORÁNEA

No final do ano de 2011,  Sra. Alicia Cunto no  Atelier em Balneário Camboriú ,  fez um convite para participar do evento a nível Internacional na cidade de Buenos Aires- Argentina

CONVITE

FACHADA DO MUSEU- ENTRADA



OBRA APRESENTADA COMO CONVIDADO ESPECIAL( selecionada pela Sra. Alicia Cunto- Curadora do Museo)

 A surpresa foi receber uma condecoração (medalha)                          " A LA TRAYECTORIA" do Escultor.

Sra. Alicia Cunto e Jorge Schröder ao lado da peça em exposição


A ESCULTURA APRESENTADA FAZ PARTE DA COLETÂNEA CRAVOS&CUNHAS
Intitulada "A DOR É FRIA"
Bronze e Acrílico  0.59 x 0.35 x 0.22 mt.